Durante décadas, a indústria de transportes públicos nos centros urbanos permaneceu praticamente, sendo dominada majoritariamente por meios como ônibus e táxis. Subitamente, em tempo recorde, aplicativos como Waze e Uber surgiram e revolucionaram esse cenário. O que explica o crescimento exponencial de empresas como essas? Essa é a ideia por trás do blitzscaling.

Criado por Reid Hoffman, fundador do LinkedIn, esse conceito busca esclarecer como funciona o modelo de negócios disruptivos que conseguem romper barreiras e crescer em alta velocidade, como Amazon, Facebook e Spotify.

Quais são os segredos desses empreendimentos que se posicionam como indústrias do futuro e o que Hoffman quer dizer com esse termo? Isso será respondido neste post, saiba mais sobre o blitzscaling e como suas ideias podem ajudar você a acelerar seu negócio. Vamos lá?

O que é blitzscaling?

A expressão cunhada por Hoffman trata-se de uma metodologia simples que ajuda empresários a descobrir, ao longo da trajetória de desenvolvimento e expansão, quais aspectos são prioritários em cada etapa e em que o negócio deve focar para “passar de fase” e seguir crescendo.

O nome complicado vem do alemão e foi inspirado em uma estratégia militar que o exército usou durante a Segunda Guerra Mundial, o blitzkrieg. Essa tática buscava driblar a lentidão na movimentação e os desafios encarados pelos soldados enquanto avançavam pelo continente europeu.

Sua função era agilizar as tomadas de decisão — independentemente das consequências — e dar mais mobilidade e velocidade à tropa. O resultado desse esquema foi a conquista de boa parte da Europa por meio de surpreendentes ataques relâmpagos.

Ampliando essa perspectiva para o mundo corporativo, Hoffman acredita que empresas, como startups, em fases de tração e ignição precisam reunir esforços para evoluir e conquistar sua parcela no mercado do modo mais rápido possível.

Ao mesmo tempo, o blitzscaling apresenta uma metodologia que auxilia o empreendedor a tomar decisões acertadas de acordo com os diferentes estágios do processo, a realidade do negócio e seus desafios mais críticos. Assim, é possível ter um crescimento vertiginoso mantendo o foco e os pés no chão.

Quais são suas etapas?

Para chegar lá, Hoffman classificou o blitzscaling em 5 fases de evolução (Família; Tribo; Vila; Cidade; Nação), que podem variar de acordo com as características e especificidades de cada negócio. São elas:

Família

Representa as bases sobre as quais uma empresa é construída, o que inclui considerar pontos como:

  • a criação do plano de negócios;
  • a proposta de valor;
  • desenvolvimento do produto ou serviço;
  • observação de oportunidades e pesquisa de mercado;
  • levantamento de público-alvo (persona);
  • cálculo de preços e custos;
  • estratégias de marketing e comercial;
  • canais de distribuição e logística;
  • atribuições dos fundadores e gestores;
  • seleção de colaboradores e parceiros.

Tribo

Passada a hora de alinhar os alicerces, nesse ponto, com um produto ou serviço bem definido em mente, o foco é levantar investimentos para fazer ajustes detalhados na solução e acelerar a expansão para ganhar destaque e competitividade. A prioridade nessa etapa é ficar de olho na concorrência e se firmar de forma sólida no mercado.

Quando o próprio LinkedIn estava nessa fase, Hoffman sabia que existiam competidores diretos que podiam limitar o progresso de sua plataforma. Ao contrário deles, em vez de apostar em estratégias de monetização, ele preferiu fidelizar seu nicho de mercado e trabalhar o posicionamento da marca.

Logo, é uma boa manobra apostar na promoção do negócio nesse momento, por meio de mídias sociais, marketing digital ou de conteúdo, publicidade, assessoria de imprensa, anúncios, entre outros.

Vila

Nessa etapa, a startup está pronta para começar a escalar o mercado. Para colocar o plano de crescimento em prática, é preciso observar:

Um dos passos mais significativos desse estágio é justamente o recrutamento. Conforme o negócio avança e mudanças se apresentam, é necessário revisar o quadro de funcionários e as parcerias, que devem ser analisados com bastante critério.

Cidade

Em Cidade, o empreendedor deve se organizar e investir em eficiência operacional e gestão para manter o crescimento veloz e sustentável. O negócio precisa lidar com a complexidade de ter uma ampla base de clientes, administrar recursos em larga escala, entre outros obstáculos que se apresentam à medida que a empresa ganha mais e mais espaço. Logo, as prioridades nesse passo são:

  • desenvolver novos produtos;
  • mapear e reformular processos;
  • identificar erros, gargalos e burocracias que limitam o desenvolvimento e a performance;
  • construir portfólio;
  • prospectar novas fontes de receita.

Nação

De acordo com a proposta de Hoffman, aqui, a empresa chegou no último degrau de sua caminhada até o topo e está pronta para ganhar o mundo. Isso inclui a elaboração de uma estratégia global.

Os grandes desafios nessa etapa serão lidar com diferentes culturas e distâncias geográficas e, ao mesmo tempo, garantir a comunicação efetiva entre equipes. Por isso, para avançar para esse passo, a startup deve ter uma linha de produtos consolidada e uma rede de colaboradores bem treinados e de confiança.

Como aplicar os conceitos do blitzscaling no meu negócio?

Apesar de o blitzscaling ter sido criado para falar de startups de tecnologia, esse é um modelo que pode inspirar empresas de qualquer segmento e nível de expansão, uma vez que suas estratégias ajudaram e provaram trazer bons resultados para vários negócios de sucesso. Confira sugestões e iniciativas que você pode adaptar para o seu empreendimento com base em cada estágio dessa metodologia:

  • Casa: faça coisas que não são escaláveis ainda. Literalmente, “arrume a casa” para receber visitas. Isso inclui escutar atentamente seus usuários, pedir feedbacks e descobrir qual o seu diferencial e product market fit;
  • Tribo: dê maior atenção ao marketing e estratégias de divulgação. Recrutar as pessoas certas e alinhadas com a proposta e valores do seu negócio vai ser o maior e mais importante desafio a ser cumprido;
  • Vila: Olhe para seu time de pessoas e observe quem realmente foi capaz de se adaptar e faça os ajustes necessários. Enquanto que os estágios anteriores eram mais experimentais, nesse, o objetivo é executar e concentrar a atenção em pontos cruciais para manter o crescimento nos trilhos;
  • Cidade: automatize processos, invista em tecnologia como apoio, desburocratize a empresa e suba o nível da eficiência da empresa como um todo, apostando na alta performance;
  • Nação: para ampliar, o CEO não pode concentrar todas as funções. Treine pessoas e forme gestores para resolver problemas e disseminar a cultura e a visão do seu negócio em outras frentes para conseguir, de fato, escalar.

O blitzscaling fala sobre arte de criar negócios para crescer na velocidade da luz. Seu próprio autor o define como “empreendedorismo de alto impacto”, com o objetivo de se mover em grande escala. Em um mundo intenso e dinâmico, competidores podem surgir repentinamente de qualquer lugar e oportunidades desaparecem em segundos. Logo, é preciso saber usar o tempo a seu favor para ser pioneiro, inovador e potencializar seu negócio!

Agora que você já sabe o que é blitzscaling, continue se informando sobre métodos de gestão e conheça a lean startup!