O período de distanciamento social por conta da pandemia de COVID-19 está causando impactos em todos os setores da sociedade. No mercado, eles são gigantescos, com empresas multinacionais, como a Adidas, passando por crises econômicas.

Em modelos de negócios menores, as mudanças também são grandes, causando, por exemplo, demissões em startups. Afinal, se nem mesmo empresas maiores conseguiram passar impunemente pelos problemas econômicos gerados pela crise, como uma startup pode passar ilesa por esse período?

O maior efeito, infelizmente, acaba sendo representado pelos desligamentos em massa nas organizações dos mais diferentes segmentos. Em momentos de dificuldade, porém, é preciso refletir sobre certas decisões e posturas para aprender com os erros e conseguir sair mais fortalecido.

Que tal, então, entender um pouco mais sobre o que aprender com as demissões em startups? Continue a leitura deste artigo para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Qual é o cenário das demissões em startups durante a crise?

Com o distanciamento social, muitos trabalhos precisaram passar por mudanças ou, em casos mais extremos, precisaram fechar por tempo indeterminado. Imagine uma produtora de eventos: mesmo que encontrem soluções para transmissões online, o produto principal acaba sendo prejudicado. Assim, as receitas não são mais as mesmas.

De acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABstartups), o cenário não é diferente em relação às demissões em startups. Os números mostram que as 13 mil startups brasileiras já demitiram quase mil pessoas durante a pandemia.

Companhias que trabalham com viagens, como a MaxMilhas, ou em parceria com academias, como a Gympass, foram as mais prejudicadas. Algumas startups mais amadurecidas, como o Nubank, um dos poucos unicórnios brasileiros, conseguiu evitar demissões em massa.

A empresa colocou 100% dos seus funcionários no modelo de trabalho de home office e ainda abriu algumas vagas. Ou seja, por mais que o cenário não seja dos mais animadores, algumas startups conseguiram se manter fortes durante a pandemia.

Quais lições aprender com as demissões em massa em startups?

Com menos receita entrando para muitas empresas, as demissões em startups acabam se tornando necessárias para não prejudicar ainda mais o longo prazo daquele negócio. Mas esse momento também deve ser aproveitado para aprender algumas lições valiosas.

Elas podem ser muito importantes para próximos desafios que apareçam pela frente. Confira algumas delas!

O impacto de um bom planejamento

O primeiro ponto a ser observado é, sem dúvidas, a importância de um bom planejamento. Caso uma startup estivesse crescendo exponencialmente a quantidade de clientes, mas não estivesse se organizando internamente, a tendência seria de um impacto muito maior com a chegada de uma crise.

Preparar-se para momentos de dificuldade pode mitigar os efeitos de uma situação como a provocada pela pandemia.

A relevância da gestão de pessoas

Em um momento de distanciamento social e em que muitos profissionais têm inúmeras dúvidas sobre o seu futuro na função ou, até mesmo, como ter uma maior produtividade no sistema de home office, a gestão de pessoas se torna ainda mais importante. Cultura organizacional e satisfação dos colaboradores são processos ainda mais importantes.

Como lidar com quem ficou

Outro aprendizado valioso é o tratamento com os colaboradores que continuaram com as suas funções. Afinal, não é simples ver companheiros de trabalho serem demitidos e, até mesmo, não ter a segurança do próprio cargo.

Nesse caso, a função de um mentor em startups pode ser vital, ainda mais com o aconselhamento de alguém experimentado na área e que já passou por situações parecidas.

A importância da transparência

A transparência também é outro tópico a ser analisado. Além das demissões, os cortes salariais também são comuns no período de crise.

Cabe aos sócios majoritários — e até mesmo investidores, de acordo com a sua participação na startup — divulgarem a situação em que a empresa se encontra, até mesmo, para justificar as suas decisões e mostrar que todo o possível foi feito.

Como realizar uma demissão humanizada?

Muitas vezes, as demissões em startups, são inevitáveis, certo? Mas isso não significa que a conversa com os profissionais desligados deva ser conduzida de qualquer maneira.

Por isso, separamos algumas ações que você deve colocar em prática para realizar um desligamento mais humanizado, tornando o processo menos doloroso para as duas partes.

Tenha contato direto com os colaboradores

A parte mais importante para realizar uma demissão humanizada é fazer o contato direto com as pessoas. Em tempos de distanciamento social, a mensagem pode ser feita, por exemplo, por meio de uma videochamada.

Apenas olhando no olho do colaborador você deve comunicá-lo sobre o desligamento. Evite o uso de cartas, email ou mensagens, que podem criar uma situação ainda pior com o profissional.

Ofereça um feedback completo

Durante o processo de demissão, seja transparente em relação aos motivos para justificar a decisão. Seja honesto, mas tente oferecer um feedback com críticas construtivas, que ajudem o colaborador a entender o que poderia fazer melhor, por exemplo. Explique as razões e também ouça o que ele tem para falar.

Tente ao máximo ajudar

Por mais que a sua empresa não possa mais absorver os salários de determinados colaboradores, isso não significa que outras companhias não estejam realizando contratações.

Uma atitude muito comum em alguns startups é divulgar o currículo daqueles profissionais que foram desligados, destacando as suas habilidades e criando mais oportunidades para o recém-demitido.

As demissões em startups por conta da crise causada pela pandemia do coronavírus são uma infeliz realidade e é preciso saber conviver com esses cenários negativos. O melhor a fazer em situações como essa é colher aprendizados durante o processo para evitar que erros se repitam ou para que o seu negócio esteja mais preparado para novos desafios.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o cenário das demissões em startups e o que fazer para tornar esse processo mais humano, que tal entender um pouco mais sobre a importância do aprendizado nesse cenário? Leia o nosso artigo sobre mentoria para startups e confira tudo que você precisa saber sobre o assunto!