Um ponto fundamental para a geração de novos negócios é o entendimento de quais são as preferências, necessidades e comportamento do consumidor. Somente dessa maneira é possível entregar um produto e/ou serviço compatível com o que ele deseja. Ficar de olho nessas tendências é, portanto, fundamental. Uma das mais importantes, atualmente, é a cultura digital first.

Como a tradução para o português indica, significa colocar o digital em primeiro lugar. Isso vale para os mais diversos processos dentro da sua startup, do marketing até as plataformas escolhidas para oferecer a sua solução.

Apesar de importante, não é tão simples colocá-la em prática, já que é necessária uma mudança completa no mindset dos profissionais da empresa. Para quem deseja conquistar novos clientes e atrair mais investidores, abraçar a transformação digital é essencial. Isso começa a partir da priorização dos canais e ferramentas mais adequados para se aproximar do seu público-alvo.

Que tal, então, tirar todas as suas dúvidas sobre o conceito de digital first? Continue a leitura deste artigo para descobrir o que aprender com essa cultura!

Qual é o comportamento do consumidor atual?

O consumidor está cada vez mais empoderado. Com os avanços tecnológicos e a facilidade do acesso às informações, o seu nível de exigência aumentou. Muito disso acontece pela mudança do seu comportamento.

Hoje, eles não correm mais atrás das marcas, a relação foi invertida. O público quer ser impactado por conteúdos relevantes, que agreguem ao seu dia a dia pessoal e profissional.

Parte desse poder de impacto está, necessariamente, na forma como consomem informações, produtos e serviços. Quer um exemplo? De acordo com o Social Media Trends 2019, mais de 96% dos usuários na internet utilizam alguma rede social.

Sendo assim, como ignorar esses canais de comunicação? Para quem precisa interagir com o público, conhecer esse comportamento é vital. Por mais que ainda desejem consumir vídeos, os usuários não querem utilizar os mesmos métodos.

Um levantamento do Google indica que 60% das pessoas preferem assistir um vídeo online do que pela televisão. Ou seja, o comportamento de quem você deseja impactar mudou. Como consequência, é preciso que a sua startup também se movimente para continuar inovando.

O que é digital first?

Primeiro, porém, é preciso entender o que significa esse conceito. Na prática, representa uma mudança na cultura organizacional de uma empresa, fortalecendo, por exemplo, a presença em canais digitais, em vez dos tradicionais.

Isso não significa a substituição de um pelo outro, apenas a priorização do que é mais adequado e compatível com o comportamento do consumidor. O objetivo é aproveitar as oportunidades que podem surgir com o digital.

Mesmo que os números da sua startup sejam satisfatórios, por exemplo, é preciso se reinventar se é essa a exigência do seu público-alvo. Por mais difícil que seja modificar os processos ou até mesmo o modelo de negócio, as tendências vão pautar o seu sucesso ou não.

O conceito aborda tudo o que faz parte do universo da startup. A forma como vai ser feita a comunicação com o seu público precisa mudar, assim como o comportamento dos profissionais da sua equipe. A análise de dados e informações é uma forma de abraçar o digital, assim como priorizar as plataformas online mais utilizadas pelo seu público.

Tudo precisa ser visto. Se o primeiro canal utilizado pelo consumidor é o digital, por que a criação do seu conteúdo vai ser pensado na ordem contrária? Isso vale até mesmo para uma revista com edição física. O primeiro material a ser escrito precisa ser online — com links, vídeos, gráficos e conteúdos interativos — para, em seguida, adaptá-lo ao que vai ser impresso.

Quais são as primeiras mudanças a serem feitas?

Na prática, o que deve ser modificado dentro da sua startup? Afinal, essa cultura não é uma mudança tão sutil e exige tempo e planejamento para render os resultados esperados. Confira!

Estrutura do negócio

A estrutura do negócio precisa ser reavaliada. Esse é o ponto principal para ditar todas as mudanças subsequentes.

Para isso, é preciso que o mindset dos líderes da empresa esteja de acordo com uma visão mais moderna e adaptada ao cenário de avanços tecnológicos. Tudo o que faz parte dos processos internos da startup precisa ser modificado.

Estratégias e oportunidades

Como consequência, as estratégias e oportunidades da sua startup devem mudar. Como falamos, o dia a dia de trabalho vai ser diferente e, com isso, as funções desempenhadas internamente também.

Em vez de priorizar ações no espaço físico, adapte as suas ideias para o cenário digital. Os investimentos, por exemplo, devem ser alocados em estratégias e oportunidades que sigam a tendência.

Identidade visual

Normalmente, a marca é pensada para a impressão, em como ela vai ser vista no mundo físico. O seu site ou suas páginas nas redes sociais, porém, vão receber mais visitas dos consumidores. A ordem, portanto, deve ser revertida e todo o planejamento de criação da marca deve ser criada pensando nos elementos digitais.

Comportamento digital da marca

A forma como a sua marca se comporta também é importante. Afinal, a presença digital gera um impacto cada vez maior nos resultados de qualquer companhia. Sendo assim, é preciso traçar uma estratégia voltada exclusivamente para ter melhores resultados nessas plataformas.

O digital first é, portanto, uma necessidade cada vez maior para qualquer negócio. O perfil e o comportamento do consumidor mudaram: por que a sua empresa não deve se transformar também? Ao analisar o seu público e os objetivos da sua startup, é possível criar um planejamento mais estruturado e adequado para conseguir se destacar em um cenário de tanta concorrência.

Querendo ou não, implementar a cultura de digital first exige um planejamento adequado para alcançar os objetivos determinados. Isso passa diretamente pela forma como ela é gerida no seu dia a dia de trabalho. Por isso, que tal conhecer mais sobre um conceito que pode ser útil? Entenda como a gestão 4.0 pode auxiliar a sua startup a ter sucesso!