A sociedade vive um momento no qual muitos conceitos estão sendo revistos e, principalmente, novos caminhos estão sendo traçados. Algumas questões têm sido temas de destaque em muitos países e, ao mesmo tempo, têm ganhado espaço no mercado de trabalho. Nesse contexto, destaca-se a relevância da diversidade e da inclusão.

Para uma startup, os valores e princípios voltados para isso são agregadores de consequência bem positivas, como o aumento de valor para a marca, a possibilidade de atrair os melhores profissionais do mercado, a formação de equipes mais criativas, a modernização no relacionamento entre empresa e colaborador e uma gama de outras vantagens.

Mas como conseguir promover a diversidade e inclusão na empresa? Como tirar a ideia do papel? É o que contaremos para você neste artigo. Continue a leitura e confira!

Dê atenção à cultura organizacional

Para começar a colocar em prática uma boa estratégia de diversidade e inclusão na sua startup, a primeira coisa a fazer é reformular alguns aspectos da cultura organizacional. Uma boa dica é reforçar o tema junto com a comunicação interna da empresa e fazer grandes campanhas de conscientização no ambiente corporativo.

Com o tempo, você verá que as pessoas passarão a falar mais sobre o assunto, a entender como funciona e a questionar se estão realmente ajudando tudo isso a acontecer no local em que vivem e trabalham. Sem contar que, com isso, a questão da diversidade será tratada de um jeito mais natural e aberto, como deve ser.

Nesse sentido, vale uma observação: a cultura organizacional de uma empresa é algo que precisa ser trabalhado diariamente, principalmente com quem já atua na startup há mais tempo e sem esquecer dos que estão começando agora no quadro de colaboradores. Lembre-se de que quanto mais enraizada é a cultura da empresa, mais os profissionais darão apoio a ela.

Tenha processos seletivos abertos à diversidade

Se estamos falando de diversidade e inclusão, na lista de prioridades jamais pode faltar a abertura de oportunidades para pessoas com deficiências físicas, por exemplo. Muitas empresas destinam as mesmas vagas para toda e qualquer pessoa, mas outras abrem processos mais específicos, direcionados exclusivamente a portadores de necessidades especiais.

Que tal começar a fazer isso também? Você verá que muitos talentos que estão fora do mercado de trabalho podem aparecer com um grande interesse em trabalhar na sua empresa. E tem mais: na maioria das vezes, essas pessoas estão dispostas a começar a atuar o quanto antes, com muita força de vontade, interesse e com sede de fazer mais e melhor.

Crie times com profissionais diversificados

Voltando um pouco o olhar para a parte interna da sua startup, será que existem times diversificados na empresa? Isso quer dizer contar com profissionais de níveis e formações diferentes dentro de uma mesma equipe, que podem trazer várias opiniões modernas e criativas justamente para ampliar as visões de estratégias.

Uma dica é mesclar times com colaboradores como estagiários, pessoas com um pouco mais de experiência e chefes. Além disso, contar com profissionais que venham de formações diferentes, mas correlatas, vale muito a pena. Em uma startup de aplicativo de mobilidade, por exemplo, é possível unir alguém de TI com alguém que entenda sobre sustentabilidade.

E isso vai além: pessoas com orientações sexuais, políticas e religiões diferentes também tendem a agregar bastante um time em busca de conquistas inéditas e ultramodernas. Pode até parecer que não, mas uma equipe com tantas diferenças pode se unir em prol de algo concreto e que faça toda a diferença para o todo. Pense nisso!

Ouça mais seus colaboradores

Sua empresa está mesmo praticando as melhores políticas de diversidade e inclusão? Muitas vezes, a ideia é difundida, mas no dia a dia não é exatamente isso que está acontecendo. Portanto, a melhor coisa é promover ciclos de debate para que todos os colaboradores possam falar e expor como tem sido a rotina na startup.

Dê um passo à frente e promova a abertura para que todos tragam novas ideias de inclusão, sempre com foco em praticar o que há de melhor para o crescimento da empresa, aliado aos resultados para clientes. Ao mesmo tempo, quanto mais engajados os profissionais estiverem em prol dessa causa, mais interessante fica o ambiente corporativo.

Você verá que em pouco tempo muitos profissionais estarão propondo coisas novas para desenvolver, a linguagem deles estará mais voltada para o que se vê em tendência mundial e, principalmente, estarão mais satisfeitos com os rumos e caminhos que a startup seguirá. Afinal, inclusão é muito mais do que apenas ter oportunidades iguais, é também ouvir o que todos têm a dizer.

E então, o que você achou de todas essas sugestões para promover a diversidade e inclusão na sua startup? Não se esqueça de que essas políticas precisam acontecer sempre, e não só uma vez de tempos em tempos, transformando isso em uma cultura forte dentro do seu negócio.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite a visita ao blog e conheça algumas startups que tem o poder feminino à frente, com CEOS mulheres!