A expectativa de vida no Brasil vem se elevando consideravelmente — de 68 anos em 1996 a 75 anos em 2016 — e se aproximando, por exemplo, dos Estados Unidos, em que o valor está na casa dos 78 anos. Esses números representam uma maior preocupação do brasileiro com a sua saúde e, no contexto da transformação digital, se reflete na criação de HealthTechs.

Em uma sociedade cada vez mais questionadora e em busca de soluções eficientes e práticas, a área da saúde é uma das mais impactadas. No Brasil, que conta com um sistema público de saúde pouco eficiente, essa situação se evidencia, o que abre espaço para startups entrarem com inovações no setor.

Querendo ou não, esse comportamento da população e os avanços tecnológicos favorecem o surgimento de startups voltadas para o setor da saúde. Que tal, então, entender melhor sobre o funcionamento das HealthTechs e como elas vêm revolucionando o mercado brasileiro? Confira!

Qual é o panorama do mercado da saúde no Brasil e as HealthTechs?

O mercado da saúde no Brasil é, sem dúvidas, um espaço aberto para o surgimento de diversas startups. Para se ter uma ideia, um estudo da Liga Ventures identificou mais de 250 HealthTechs no país, com atuações em diferentes áreas — desde soluções para agendamento de consultas até negócios voltados para gestão de clínicas e espaços.

Os números apontam para um crescimento cada vez maior no setor, especialmente com o envelhecimento da população. Outra pesquisa indica que, em 2040, 11% do PIB brasileiro será destinado à área, porém, 44% do total dos gastos vai ser bancado por empresas e pela população.

Isso significa que os investimentos públicos possivelmente não vão suportar a demanda e, por isso, startups voltadas para a saúde devem ganhar ainda mais espaço. Para se ter uma ideia, dados da LAVCA mostram que o número de investimentos feitos em HealthTechs na América Latina cresceu 250% de 2016 para 2017.

Além de ser o segundo setor em que mais acordos foram fechados, a saúde ficou em quarto lugar quando o assunto é quantidade dos investimentos, com um aporte 731% maior em relação ao ano anterior. Parte desse valor é referente ao investimento de 50 milhões de dólares feitos no Dr. Consulta, startup para consultas e procedimentos clínicos.

O mercado brasileiro da saúde está, portanto, em amplo crescimento e com excelentes oportunidades para investidores. Em um país marcado pela precariedade do atendimento público, as HealthTechs se tornam cada vez mais necessárias, conquistando a adesão de médicos, hospitais e, é claro, da própria população, todos em busca de eficiência.

Como as startups estão revolucionando o mercado da saúde?

O investimento na área da saúde tem sido cada vez maior e, consequentemente, as startups do setor se tornam impactantes e eficientes em busca de soluções práticas. Para que você compreenda melhor a revolução que as HealthTechs estão proporcionando, listamos algumas das principais mudanças na área.

Diagnóstico e tratamento

Muitas das startups na área da saúde focam em formas de facilitar o diagnóstico e tratamento de doenças e problemas de saúde. Seja com o atendimento automatizado por meio de chatbots ou o uso da Big Data para a execução de ações preventivas, já identificando padrões no comportamento do paciente e agilizando os processos.

Softwares de gestão de clínicas e hospitais

Outro ponto muito explorado pelas HealthTechs é a gestão de clínicas e hospitais, um setor muito deficitário dentro da área da saúde. Sistemas integrados que facilitam a gestão e administração vão ganhando espaço, tornando o atendimento mais eficiente e prático e, consequentemente, resultando em um serviço final satisfatório.

Home care

O Home Care também vem evoluindo, permitindo que pessoas sem condições de se deslocar — por motivos físicos ou financeiros —, consigam ter o acompanhamento adequado mesmo em casa. As chamadas de vídeo, por exemplo, podem ser grandes aliadas, com médicos e pacientes acessando o prontuário online e sabendo exatamente o que fazer.

Coleta e distribuição de medicamentos

O processo de gestão de estoque e distribuição de produtos também é beneficiado com a chegada das HealthTechs. Tanto a eficiência do processo de coleta e entrega de produtos e medicamentos quanto a redução de custos operacionais tendem a melhorar com o avanço da tecnologia, diminuindo, por exemplo, a perda de carga.

4 exemplos de HealthTechs que alcançaram o sucesso

Dentro desse mercado, algumas startups conseguiram maior destaque e hoje já podem ser consideradas cases de sucesso. Listamos 4 delas para que você conheça o impacto dessas soluções no mercado brasileiro. Confira!

1. Dr. Consulta

Com sua estratégia voltada para o preço acessível, o Dr. Consulta é um dos principais cases de sucesso quando o assunto é HealthTech. O paciente tem acesso aos procedimentos e exames comuns pagando menos e com a mesma qualidade. Todas as tarefas são automatizadas, da marcação de uma consulta até o atendimento ao paciente.

2. Memed

O foco do Memed é facilitar o atendimento, permitindo que os médicos agilizem o seu trabalho e os pacientes possam acessar orientações e receitas por meio da prescrição digital. O aplicativo se conecta à farmácia e conta com mais de 60 mil remédios cadastrados. O envio por SMS, por exemplo, facilita a adesão do paciente ao tratamento.

3. Pickcells

O Pickcells chegou para automatizar os diagnósticos, tornando os laboratórios de análises clínicas muito mais eficientes. Além de reduzir o tempo de informação do resultado do diagnóstico, possibilita a criação de diferentes linhas de pesquisa, com uma solução customizada para cada clínica. Por fim, o diagnóstico final é integrado ao software do laboratório.

4. Amplimed

Softwares de gestão são essenciais para o bom funcionamento de consultórios, hospitais e clínicas. A Amplimed tem como objetivo organizar e agilizar todos os processos para facilitar a rotina de trabalho e, dessa forma, o atendimento ao paciente. Ele conta com uma agenda online, prontuário personalizável e todos os recursos para aumentar a produtividade do ambiente de trabalho.

As HealthTechs vão, aos poucos, dominando o cenário brasileiro, trazendo inovação para uma área sensível e importantíssima para a qualidade de vida da população. Melhorias no atendimento ao paciente dentro do consultório, ferramentas de gestão de clínicas e hospitais, além de vários outros benefícios, contribuem para uma revolução no mercado da saúde.

Por meio de melhorias na mobilidade urbana, melhor aproveitamento dos espaços públicos, tratamento do lixo e de uma forma consciente de produção e utilização da energia, o foco do conceito de smart cities é, justamente, garantir uma vida mais saudável para a população. Que tal conferir o nosso artigo sobre o assunto e entender o papel das startups na construção das cidades inteligentes?