Nos últimos anos, observamos como diversas empresas têm causado uma verdadeira revolução na sociedade e na forma como as pessoas consomem, se comunicam, se movem pela cidade, entre outros processos. Graças, sobretudo, à tecnologia e à transformação digital, novas ideias, mercados e modelos de negócio ganharam espaço e se solidificaram. Todo esse movimento tem a ver com um termo que sua startup precisa conhecer mais de perto: open innovation, ou, em português, inovação aberta.

Inovar é algo que empresas sempre buscaram fazer ao longo do tempo e, especialmente hoje em dia, é uma prioridade diante de um cenário competitivo. Contudo, existem diferentes formas de abordar esse assunto. Nesse sentido, a inovação aberta justamente diz respeito a uma mudança de perspectiva em relação a como se idealiza e desenvolve novos projetos em um empreendimento.

Curioso para saber mais sobre o tema? Se sim, continue a leitura deste artigo e entenda como essa transição pode ajudar a alavancar seu negócio! Confira!

O que é inovação aberta (open innovation)?

A inovação aberta propõe um olhar diferente no tocante à pesquisa e à criação de produtos e serviços. Nesse modelo, empresas adotam um posicionamento livre e acessível para ouvir e cocriar projetos com outras áreas da empresa — promovendo a integração de setores — e até mesmo em cooperação com elementos externos, como fornecedores, outras companhias, instituições de ensino e consumidores, entre outros.

Esse modelo de inovação foi cunhado em 2003 por Henry Chesbrough, professor da Universidade de Berkeley e ex-gestor em uma empresa de tecnologia no Vale do Silício. Ele observou que as empresas se beneficiavam muito mais e podiam encontrar novas formas de gerar lucros por meio da abertura e da colaboração, fomentando ideias, pensamentos, serviços e produtos que tendem a ser mais eficientes, com maior valor agregado e relevância para os clientes.

Para Chesbrough, a inovação aberta pressupõe que o conhecimento e boas soluções podem estar em qualquer lugar, tanto dentro como fora da empresa. Por isso, gestores e empresários devem manter os olhares abertos e estar disponíveis para aproveitar essas oportunidades de negócio.

As startups, por sua natureza disruptiva, são, de certa forma, representantes desse modo de pensar, e ganham ao estar sempre conectadas a esse tipo de método para a inovação.

Quais são as diferenças entre inovação aberta e inovação fechada?

Quando Chesbrough pensou na inovação aberta, ele imaginou esse conceito em contraponto com o que ele via que era comumente feito nas empresas: a inovação fechada. Trata-se da presença e do investimento em centros de pesquisa e desenvolvimento totalmente encerrados, no qual os profissionais se concentravam em conceber novas tecnologias e soluções.

A questão, para Chesbrough, é que muitas dessas criações não tinham nenhum alinhamento com as reais necessidades do mercado, dos clientes e, inclusive, as do próprio negócio, uma vez que eram elaboradas de forma isolada e centralizada.

A inovação aberta chega com a proposta de, primeiramente, envolver mais atores no processo, pessoas de outras partes da empresa que podem contribuir com diferentes visões. Em seguida, o intuito é expandir outros membros da cadeia, como consumidores, parceiros, cientistas ou ainda concorrentes.

Ao contrário do modelo em que a companhia se fecha em si, a inovação aberta convida empresas a manterem um leque aberto de iniciativas e projetos para inovação por meio de conversas e trocas com outros players do mercado, gerando um terreno mais fértil e em ebulição para que coisas realmente interessantes e produtivas aconteçam para potencializar o negócio.

Como a inovação aberta pode melhorar o meu negócio?

Existem muitas vantagens e oportunidades de melhora e crescimento para um negócio que adere à inovação aberta. Conheça os principais benefícios desse conceito a seguir.

Favorece o networking e o contato com diferentes talentos

Nem todo empreendimento consegue ter em seu time todo tipo de profissional ou recursos suficientes para inovar. Com a inovação aberta e a consolidação das relações dentro e fora do negócio, empresas ampliam seu poder disruptivo e mantêm um fluxo efervescente de ideias.

Ao estreitar relacionamento com outras instituições e setores, as chances de entrar em contato com pessoas com competências e talentos múltiplos que podem contribuir de forma rica para o projeto é muito maior.

Além disso, esse intercâmbio de ideias é prolífico, uma vez que aumenta a percepção de novas soluções e nichos comerciais que não tinham sido até então explorados. Para startups, que geralmente têm uma equipe mais enxuta, essa manobra é de grande valia.

Reduz custos, tempo e riscos na produção de novos projetos

Outros fatores que limitam a inovação dentro de algumas empresas é a falta de recursos e tempo. Nesse ponto, a inovação aberta apresenta uma forma mais lucrativa e acelerada de inovar. Ao colaborar com outras instituições ou incorporar patentes ou soluções semiprontas de outros negócios, ganha-se tempo e economiza-se recursos e gastos com investimento.

Paralelamente, quando uma startup otimiza seus processos de criação com base nesse método, reduz-se também uma parcela dos riscos, caso algo aconteça de errado.

Fortalece o modelo de negócios

Em um mercado competitivo, instituições de todos os segmentos e portes parecem estar em uma verdadeira corrida para saber quem terá a próxima ideia de sucesso. Com a inovação aberta, a busca por conhecimento e novidades é feita de forma mais estruturada e estratégica, sem tropeços.

No mais, quando compartilha e absorve aprendizagens e experiências de outras fontes, a empresa permanece bem informada, pronta para agir de acordo com as mudanças do mercado e no caminho da inovação constante.

Empresas sempre investiram, de uma forma ou de outra, em pesquisa e desenvolvimento interno, o que é algo muito positivo. A proposta agora é fazer com que esse processo se torne mais dinâmico e menos limitado ou exclusivo.

A inovação aberta pressupõe o rompimento de barreiras e a circulação de ideias, garantindo que todas as partes envolvidas saiam ganhando e consigam concentrar suas energias em projetos mais inteligentes, econômicos e realmente relevantes para o seu público.

Gostou de conhecer melhor sobre esse conceito? Se você está em busca de mais formas de alavancar e oxigenar sua startup, entre em contato com a gente e veja como funciona nosso programa!