Você já ouviu falar em neuromarketing? Antes de qualquer coisa, você precisa lembrar que essa é a junção das palavras neurologia e marketing. Esse termo foi inventado pelo professor universitário inglês Ale Smidts.

No entanto, quem popularizou essa ideia foi o Dr Gerald Zaltman, um médico pesquisador de Harvard. Ele usou equipamentos de ressonância magnética para fazer pesquisas com o objetivo de ajudar o avanço mercadológico.

Zaltman conseguiu mapear a atividade cerebral de uma pessoa quando exposta a diferentes estímulos de marketing, entendendo o real comportamento do consumidor. Assim, ele percebeu que a decisão de comprar um produto ou de contratar um serviço acontece, em grande parte, no subconsciente de uma pessoa.

Entender esse conceito e que ações você pode tomar o levando em consideração tem o poder de alavancar as suas vendas. Quer saber o que você pode fazer para aplicar o neuromarketing dentro da sua startup? É isso que vamos mostrar agora para você!

Principais pilares do neuromarketing

Para colocar em prática as ações de neuromarketing é preciso entender como funcionam os principais pilares desse técnica. Veja a seguir.

Gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são técnicas usadas para despertar no consumidor, de modo consciente e inconsciente, o desejo e a necessidade de comprar um produto ou de contratar um serviço. Eles influenciam diretamente na decisão de compra do seu cliente.

Dois gatilhos mentais muito usados são:

  • escassez;
  • exclusividade.

Para usar a escassez de modo correto é preciso passar um senso de urgência para o seu prospectivo cliente. Algumas frases que estimulam isso são:

  • “por tempo limitado”;
  • “essa promoção é valida apenas para as x primeiras pessoas”;
  • “promoção válida enquanto durarem os estoques”.

Já o gatilho da exclusividade, como o próprio nome sugere, é para oferecer algo exclusivo que vai diferenciar aquela pessoa de outras. Um exemplo é oferecer produtos ou serviços especiais para pessoas que entrarem em contato com a sua empresa.

Arquétipos comuns

Arquétipo é uma representação que visa um modelo ideal de algo. Isso está presente em cada indivíduo e influencia aquilo que a pessoa sente, como ela age e as decisões que toma.

Cada pessoa possui vários tipos de arquétipos, sempre um mais dominante que o outro. Os mais comuns são:

  • o inocente, ou seja, aquele que quer ser feliz acima tudo, ele acredita que em um mundo onde todos possam ser o que querem;
  • o herói é aquele que aposta na vontade, na dedicação e na coragem para conquistar o que almeja, ele não mede esforços para ter o que quer;
  • o cuidador sente a necessidade de cuidar das pessoas como cuidaria de si mesmo, tem medo das dificuldades por causa do que as outras pessoas vão pensar;
  • o cara comum é aquele que sente a necessidade de pertencer algum grupo, precisa ser igual aos outros e, por isso, não expõe seus sentimentos e pensamentos;
  • o rebelde gostar de chamar a atenção e quebrar as regras, tendo valores pessoais bem definidos e é fiel a eles;
  • o criador é uma pessoa criativa que precisa tomar ações significativas para expressar o seu dom da criatividade;
  • o explorador preza pela liberdade, procura fugir do tédio e quer sempre ter uma nova experiência;
  • o sábio procura entender o mundo, gosta de fazer autorreflexão, é metódico e acredita que a verdade é o caminho para a liberdade;
  • o tolo é uma pessoa bem-humorada que deseja viver o momento, aproveitar ao máximo as coisas sem ligar para a opinião dos outros;
  • o amante tem medo de ficar sozinho, por isso foca em se relacionar com outras pessoas e valoriza o romance e a beleza;
  • o mágico mistura conhecimentos ocultos, religião, ciência, tecnologia para fazer as coisas acontecerem, ele busca uma visão das leis fundamenteis do universo;
  • o governante tem desejo por poder, tem grande responsabilidade e gosta de ter o controle das coisas.

Conhecer os principais tipos de arquétipos e o seu público-alvo vai ajudar na hora que você for montar a sua estratégia de marketing para startup. Você saberá o que cada um quer e deseja, podendo usar isso a seu favor.

Como usar neuromarketing nas estratégias

Existem ainda algumas coisas que você pode fazer para aplicar o neuromarketing à estratégia de vendas da sua startup. Algumas delas são as seguintes.

Uso de imagens

A maioria das pessoas ama conteúdos visuais. Por isso, procure passar ideias claras com as imagens que posta em suas redes sociais. Lembre-se de usar as fotos junto com textos persuasivos.

Essa combinação certamente chamará a atenção do seu público e vai ajudar você a alavancar as suas vendas.

Psicologia das cores

Crie o logo da sua empresa ou mesmo as suas estratégias de marketing pensando em como você quer afetar as pessoas. Cada cor desperta um tipo de sentimento.

Alguns exemplos deles são:

  • azul, que dá a sensação de segurança e confiança;
  • vermelho desperta a emoção e a paixão;
  • verde passa tranquilidade e serenidade para o seu público;
  • roxo está ligado à inovação e às atitudes inteligentes;
  • preto é associado ao luxo;
  • branco à transparência de informações.

Ancoragem de preços

O preço também é um fator decisivo na hora de um prospectivo cliente decidir ou não comprar os seus produtos. O ser humano tende a usar a comparação para dizer se algo é caro ou barato.

Você pode usar isso de modo estratégico, por montar um pacote com todos os seus produtos e mostrar o preço que seria por adquirir os produtos de modo individual. No entanto, no pacote a pessoa economizaria um bom dinheiro. Isso é uma ancoragem de preço e faz toda a diferença no seu negócio.

Conteúdo persuasivo

Criar conteúdos persuasivos prepara o seu leitor para aceitar e reconhecer a necessidade de comprar a solução que você oferece. De modo mais claro, você junta elementos emocionais e racionais em seus argumentos.

Algumas técnicas que funcionam muito bem na hora de fazer isso são:

  • uso de emoções (admiração, raiva, medo, ansiedade, felicidade e outras);
  • conte histórias, elas têm o poder de entreter, conectar e passar a informação para o seu público;
  • use palavras persuasivas como “grátis”, “agora”, “aqui” e “novo”, isso ajuda o seu cliente a tomar uma decisão.

Entenda o comportamento do seu consumidor, veja quais são os arquétipos dominantes no seu público-alvo e desenvolva argumentos convincentes. Ao aplicar as dicas de neuromarketing que mostramos, você conseguirá montar uma estratégia de marketing eficiente que vai alavancar a suas vendas.

Gostou das informações que trouxemos neste artigo? Quer saber quem é você no mundo do empreendedorismo? Responda o nosso quizz e descubra agora!