“Como se preparar para um programa de aceleração de startups?”: essa é a dúvida de muitas empresas inovadoras e que buscam expandir sua atuação. Afinal, programas desse tipo são reconhecidos como uma das melhores maneiras de alavancar um negócio.

Por meio de uma mentoria direcionada, as startups conseguem encontrar novas oportunidades, corrigir possíveis erros, lapidar o modelo de negócio e conquistar investimentos poderosos. Então, nada mais inteligente do que aprender como entrar em um programa de aceleração, certo?

Se esse também é o seu interesse, continue conosco. A partir de agora mostraremos como se preparar para um programa de aceleração!

Cuide do seu time

Um dos objetivos de um programa de aceleração é ajudar as startups a encontrarem e validarem o seu modelo de negócios. Isso envolve ter ideias e, principalmente, colocá-las em prática. Por isso, a equipe deve ser capaz de mudar de direção, adaptar-se e encontrar novos caminhos.

Nesse momento, o mais importante não é ter um negócio totalmente sólido, mas sim contar com um time alinhado. Isso porque, no estágio inicial, a startup ainda está desenvolvendo e testando um protótipo. Além disso, o mais provável é que ela ainda não tenha certeza de qual produto oferecerá e de qual será o mercado-alvo.

Mais do que isso, nessa fase, muitas vezes a startup não tem clientes, ou conta com poucos deles, e os colaboradores são os próprios sócios-fundadores. Em outras palavras, o time é o maior ativo existente — até porque, provavelmente, ele é o único ativo.

O cenário descrito acima pode parecer desesperador, mas a verdade é que se trata de um processo natural, de quem está começando. O mais importante é lembrar que não há nada de errado em ter a equipe como principal ativo. Muito pelo contrário! Isso porque são essas pessoas que tirarão as ideias do papel e as transformarão em um negócio de sucesso.

No próximo tópico falaremos sobre como preparar a equipe para ser cada vez melhor. Veja a seguir.

Defina o papel de cada sócio

Cuidar do time significa não apenas cultivar a relação entre os sócios e garantir que todos estejam alinhados, mas também definir perfis complementares para as funções exercidas. De nada adianta ter várias pessoas cuidando dos mesmos assuntos e olhando para eles a partir de uma mesma perspectiva. O que trará avanços é justamente a diversidade e a complementariedade.

Dentro de startups é comum existir o tripé “hustler, hipster e hacker”. As características deles são:

  • hipster: é o membro do time que identifica as necessidades dos potenciais clientes, enxerga tendências e ajuda a desenhar o produto. Sua principal função é colocar ideias no papel;
  • hacker: é a pessoa que entende de tecnologia, transformando projetos em realidade por meio dos recursos disponíveis. Sua principal função é tirar as ideias do papel.
  • hustler: é o vendedor do time, ou seja, a pessoa mais voltada para a parte de gestão e mercado. Sua principal função é comercializar o que está sendo criado.

É claro que a sua startup não precisa seguir exatamente o perfil acima. No entanto, essas delimitações são um ótimo ponto de partida para definir papéis entre os sócios, ganhando mais equilíbrio, autonomia e agilidade.

Busque treinamentos

Perfis são fundamentais para que a startup se mantenha organizada. No entanto, ao se preparar para um programa de aceleração, também é importante buscar treinamentos. Não estamos falando apenas de treinamentos técnicos, como cursos para operar determinados softwares, pois é claro que isso também tem muito valor. Contudo, muitas vezes o que mais faz diferença em um programa de aceleração são as habilidades comportamentais, as chamadas soft skills.

São exemplos de soft skills: persistência, disciplina, resiliência, proatividade, empatia, capacidade de liderança, mentalidade inovadora, capacidade de execução, coragem, comprometimento, visão sistêmica e clareza de comunicação. Cursos, mentorias e programas de coaching são exemplos de investimentos que ajudam a desenvolver esses diferenciais.

Olhe para o mercado

Estudar o mercado parece uma dica óbvia, certo? Nem tanto! Após fazer um estudo inicial, muitas empresas se concentram apenas na execução e param de procurar novas tendências e oportunidades. Isso pode ser um tiro no pé.

Quando falamos de startups, estamos tratando de negócios altamente inovadores. Por isso, é importante não poupar esforços no sentido de compreender quem são os concorrentes, o público-alvo e os mercados potenciais.

Algumas perguntas que podem ajudar nesse processo são:

  • o mercado no qual sua startup está entrando tem crescido ou retraído?;
  • quem são seus concorrentes diretos — produtos e serviços da mesma categoria?;
  • e seus concorrentes indiretos — produtos e serviços de outras categorias, mas que competem pelo investimento com a sua solução?;
  • existe algum mercado ainda não explorado pela sua empresa, mas que você poderia aproveitar?;
  • existe alguma tendência ainda não explorada por outras empresas, mas que você poderia aproveitar?.

Pratique o pitch

Como mencionamos, a ideia de um programa de aceleração não é necessariamente encontrar startups com um produto pronto e validado. Ainda assim, é fundamental que a equipe saiba vender a solução que desenvolveu até aqui, fazendo um ótimo pitch deck.

É claro que o próprio programa vai ajudar a refinar o modelo de negócio, mas isso não significa que a equipe deva esperar por ajuda externa para resolver questões importantes. Ou seja, pratique sempre melhorar e vender o que vocês já têm. Isso fará toda a diferença, pois trará experiência e inúmeros aprendizados!

O seu produto é inovador? Ele tem a capacidade de chamar a atenção, mesmo no meio de várias outras startups? Além disso, ele busca resolver um problema real e relevante? Responder a essas questões pode ajudá-lo bastante a se preparar para um programa de aceleração.

Organize documentos importantes

Por fim, é crucial ter em mãos os documentos mais importantes para participar do programa. Isso inclui ler cuidadosamente o regulamento de participação, buscando atender a todos os critérios.

Entretanto, sempre que possível, busque ir além. Reúna todos os números do negócio de forma detalhada, como o faturamento, lucro, custo de aquisição de clientes, custos operacionais, ticket médio etc. Mostre que vocês mensuram todos os testes, pois isso demonstra vontade de aprender com os resultados e aprimorar constantemente seu produto.

E então, gostou de aprender sobre como se preparar para um programa de aceleração de startups? Como vimos, essa preparação está muito ligada às bases empresariais, como: equipe, distribuição de papéis, aquisição de habilidades, capacidade de persuasão e organização de informações. Ao resolver esses pontos, sem dúvida sua startup terá muito mais chances de ingressar em um excelente programa de aceleração.

Agora, aproveite para conhecer o Oxigênio Ignição, o programa da Oxigênio Aceleradora. Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

Powered by Rock Convert