Muitas vezes, um empreendedor precisa de algo além de dinheiro para dar uma guinada no seu projeto e fazê-lo acontecer — essa é a sensação que vários fundadores de startups em busca de crescimento sentem.

Nesses momentos, fazer parte de um esquema de aceleração, como o programa da Oxigênio Aceleradora, é a iniciativa certa para entender como reunir recursos, conhecimentos e estratégias para alavancar um negócio.

Participar de um programa de aceleração é um divisor de águas na vida de muitos empreendedores. Graças ao suporte e aos benefícios oferecidos pelo programa, muitos conseguem tirar projetos do papel e estruturar seu modelo de negócio para ganhar escala e sustentabilidade.

Nos últimos anos, as startups vêm mudando o cenário do mercado e consolidando uma nova geração de empreendedores e modelos de negócio. No Brasil, em 2019, já são mais de 10 mil empreendimentos — segundo dados da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) —, e este número tende a crescer.

Quer impulsionar sua empresa e fazer parte desse panorama? Então, continue lendo este conteúdo e conheça todos os detalhes do mais novo programa da Oxigênio Aceleradora!

Como surgiu o novo programa?

O novo programa de aceleração de startups da Oxigênio Aceleradora traz uma proposta diferente dos outros ciclos. Agora, ele é equity free: um modelo no qual a aceleradora não exige uma participação societária do empreendimento participante.

Mauricio Martinez, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Porto Seguro, conta que depois da experiência de 7 ciclos no programa anterior, a empresa percebeu que acabava perdendo a oportunidade de lidar com startups de grande potencial só porque algumas delas não se sentiam confortáveis com o investimento e equity da negociação com a Porto Seguro.

De acordo com ele, com o equity free, eles terão um processo mais democrático: “agora temos condição de atrair startups em diferentes momentos, e ter um programa de aceleração mais plural”.

Mauricio conta que, no programa antigo, alguns negócios mais maduros não queriam aceitar a oferta lançada por achar que ela era mais baixa do que o valor da startup e, paralelamente, outros projetos ficavam de fora porque não atingiam o faturamento de 60 mil reais. A ideia é que, com essa nova proposta, a empresa consiga trazer startups de diferentes perfis para o programa.

A inspiração para o programa veio a partir de uma pesquisa de mercado, uma vez que esse é um modelo amplamente aplicado no cenário internacional. “É o modelo mais adequado para uma aceleradora corporativa. Nossa motivação não é encontrar algo milionário, mas sim desenvolver projetos com startups inovadoras com as quais podemos criar produtos e soluções. O equity free permite, justamente, que possamos potencializar a gestão de projetos”, afirma ele.

Como ele funcionará?

Uma vez selecionadas, as startups terão a agenda cheia por cerca de 4 meses, o que inclui encontros quinzenais com os diretores executivos da Porto Seguro. Eles são nomeados os “padrinhos” das startups que são os responsáveis por abrir as portas dentro da empresa para os empreendedores.

Além disso, as startups recebem as valiosas sessões de mentoria com o time da Liga Ventures e toda sua rede de mentores. Nesse momento, o foco é aprofundar conhecimentos e se concentrar em alavancar o negócio, entendendo suas dores e falhas. A partir desse diagnóstico, as startups são direcionadas para os melhores especialistas do mercado que possam oferecer um apoio pontual de acordo com a necessidade do empreendimento.

Essa programação engloba também eventos e treinamentos e, nesse novo formato, empreendedores podem usar as consultorias. Isso significa que eles recebem créditos e descontos para usar com empresas parceiras, que poderão cuidar de alguns processos importantes e permitir que os gestores mantenham o foco no desenvolvimento do seu negócio. Assim, eles poderão usar consultorias como assessoria de imprensa, jurídica, designers, desenvolvimento na web, entre outros.

Quem pode se inscrever?

Conforme Mauricio frisou, startups de todos os tamanhos que têm compatibilidade com a Porto Seguro ou qualquer um dos seus negócios podem se inscrever. A empresa tem um portfólio de mais de 82 produtos, que vão desde teatro até soluções financeiras, de saúde e serviços residenciais, por exemplo.

A startup não precisa ter um tempo mínimo de funcionamento, mas é necessário ter um produto pronto e sendo faturado. Isso quer dizer que existe uma solução desenvolvida e alguém comprando — no entanto, nesse momento inicial, não importa se o volume de vendas é alto ou baixo.

O Grupo Porto Seguro tem diversas áreas de negócios com grandes oportunidades para trabalhar com startups. Entretanto, a empresa busca atualmente projetos que envolvam tecnologias como:

  • inteligência artificial;
  • Internet das Coisas;
  • algoritmos avançados;
  • carteiras digitais;
  • blockchain em seguros;
  • RPA – Roboctic Process Automation (automação robótica de processos);
  • seguros on demand;
  • smartcontracts;
  • CRM para corretores e corretoras;
  • ecossistema digital conectado (tipo o PayPal e o Visa Checkout);
  • modelos de negócio digital first.

Como será o processo seletivo?

No processo seletivo, serão analisados, em especial, o produto, o time de empreendedores, o tamanho do mercado e o modelo de negócios. No mais, será avaliado o quanto é possível ajudar o crescimento da startup por meio dos ativos e da expertise do Grupo Porto Seguro.

Os interessados devem se inscrever no site da Oxigênio Aceleradora, preencher o formulário e esperar o contato para um entrevista. As inscrições começam no dia 16/05/2019 e vão até 23/05/2019. Serão selecionadas até 10 startups por ciclo — que dura 4 meses. O programa inicia em agosto de 2019.

Quais são as expectativas?

Mauricio comenta que a expectativa é que a empresa consiga desenvolver, pelo menos, um projeto por startup com a Porto Seguro. A partir de diversos feedbacks de startups aceleradas e outras que participaram do processo seletivo com a Oxigênio Aceleradora, eles perceberam que muitas acabavam declinando por conta do modelo de investimento.

Sendo assim, com essas mudanças, ele espera conseguir mudar o foco para promover o empreendedorismo e trazer mais inovação para o grupo. “Acreditamos que, com essa nova estratégia, ficaremos mais alinhados com nossos objetivos”, conclui.

Participar do novo programa da Oxigênio Aceleradora pode ser uma experiência transformadora para sua startup. Durante a programação, além dos benefícios relacionados às consultorias e infraestrutura, empreendedores têm a oportunidade de receber orientação de especialistas do mercado, fortalecer seu networking e gerar negócios com uma rede de parceiros, empresas e executivos que podem agregar muito valor ao desenvolvimento do seu empreendimento.

Gostou de conhecer o novo programa da Oxigênio Aceleradora? Se sim, não perca tempo e inscreva sua startup!