A falta de planejamento financeiro é um dos principais motivos que levam startups a não se desenvolverem. Apesar de as ideias disruptivas serem um dos primeiros passos para o desenvolvimento, saber controlar as finanças é algo decisivo para o crescimento saudável do negócio.

Neste artigo, mostraremos a você qual a importância de manter as projeções financeiras no dia a dia das startups, o que precisa ser feito e quais os benefícios dessa iniciativa. Continue a leitura e entenda melhor sobre o assunto!

Qual a importância dessa prática para as empresas?

A projeção financeira é uma ferramenta crucial para o desenvolvimento e o crescimento de uma startup. Ela funciona como uma avaliação econômica, mas também atua na validação da capacidade de negociação de pagamentos, a fim de minimizar a incidência de dívidas.

As suas funcionalidades não terminam por aí: quando se trata de finanças e sua projeção, a ideia também está focada na tomada de decisão. A partir do momento que se controla os gastos e ganhos, é possível ter mais segurança ao decidir sobre futuros investimentos e também a alocação de recursos em cada área.

Em suma, a ideia é proporcionar crescimentos ao negócio de maneira escalável, mas também, sustentável. Sem contar que esse é um instrumento que serve para a negociação com fornecedores.

Por muito tempo, as finanças foram vistas como informações mais voltadas para questões tributárias. No entanto, com as mudanças do mercado e a alta competitividade, bem como o momento de crise econômica causada pela pandemia de Covid-19, ela passou a ser um instrumento de auxílio aos gestores, que precisam se planejar para gerenciar melhor os seus negócios, ganhando um peso estratégico na hora de conhecer o seu mercado.

Por onde começar?

A eficácia de uma projeção financeira está atrelada à maneira como ela é trabalhada pela empresa. O início de todo planejamento começa por uma análise de dados financeiros do negócio. Para aqueles que estão começando no mundos dos negócios, como as startups, separamos algumas dicas que ajudarão a direcionar os esforços. Confira!

Determine seu nicho de mercado

Antes de entrar no mundo dos números e planilhas, é preciso entender como o mercado do seu segmento se comporta, fazendo uma análise do potencial de alcance do negócio. Cada setor tem as suas especificidades, ainda mais quando se trata de público-alvo.

Um consumidor classe A demanda um tipo de produto/serviço diferente de um da classe C, por exemplo. Consequentemente, isso impacta a especialização do serviço, a localização do negócio, entre outros pontos, refletindo assim nos custos e, posteriormente, no preço final cobrado do consumidor.

Faça a previsão de receita

Feito o estudo do seu nicho de mercado, é hora de realizar a chamada previsão de receita. A startup terá condições de orientar as suas estratégias, levando em consideração política de preço, investimentos em pesquisa, entre outros.

Ademais, ela deve definir as expectativas de receita para o próximo ano, considerando três cenários: pessimista, moderado e otimista. O primeiro é focado nas piores situações, o segundo, em situação realista, e o terceiro prevê um cenário extremamente favorável.

Mesmo que não tenha precisão, o gestor terá melhor visão sobre o mínimo e o máximo. Isso ajudará a proporcionar melhor subsídio ao tomar uma decisão.

Escolha uma tecnologia eficiente

Para criar um planejamento financeiro e definir os parâmetros a serem medidos, é necessário encontrar uma ferramenta que permita fazer o acompanhamento financeiro. Como se trata de um processo contínuo, a tecnologia precisa ser intuitiva e de fácil acesso a você.

Há muitas opções gratuitas, como as Planilhas Google, mas também, softwares que permitem criar fluxos personalizados. Independentemente da sua escolha, é preciso fazer o registro de ganhos e gastos, fazendo um controle de tudo o que entra e sai da empresa.

Dependendo da complexidade do seu negócio, é possível criar planilhas para cada um dos setores e adicionar informações extras sobre as finanças. Esse é o caso de startups SaaS que têm ARR e MRR, por exemplo, e precisam de projeções mais detalhadas.

Quais os benefícios em longo prazo?

Ter projeções financeiras é benéfico para todo negócio. Conheça, a seguir, quais as vantagens em longo prazo de ter tal controle!

Maior eficácia gerencial

Com a implementação da projeção de resultados, o gerenciamento para manter a startup é feito com maior eficácia. O que isso significa? Há uma diminuição nos erros de projeção de custos, tanto fixos quanto varáveis, o que evita as surpresas no final do mês.

Ao projetar resultados, é possível visualizar com mais qualidade a produtividade da equipe, a necessidade de mais pessoas, treinamentos ou aquisição de novos equipamentos, a fim de aperfeiçoar os serviços prestados. A eficácia desse gerenciamento está diretamente ligada ao planejamento financeiro.

Controle financeiro

Outra vantagem a ser destacada é que, com a projeção, é possível ter maior controle financeiro e orçamentário. Isso significa uma oportunidade para projetar a expansão do negócio, conhecendo as possibilidades para investimento, se será necessário injeção de capital externo ou se os recursos próprios são suficientes.

Enfim, com o controle, fica mais fácil identificar os custos fixos e variáveis e os impactos que eles sofrerão com as projeções feitas nos diferentes cenários que falamos, do pessimista ao otimista.

Saúde financeira

A carga tributária brasileira é uma das mais altas do mundo, sem contar que os custos para os negócios no país não são nada baratos. Isso faz com que muitas empresas fechem logo nos seus primeiros anos, principalmente, aquelas que não têm qualquer planejamento financeiro.

Logo, fazer projeções financeiras é essencial para manter o planejamento de crescimento ao longo do tempo, considerando as diferentes necessidades do negócio. Lembrando que o documento deve ser revisado constantemente, afinal, existem interferências externas, como a situação econômica de um país.

As projeções financeiras são essenciais na vida de uma startup, tanto em curto, quanto em médio e longo prazo. Sem elas, não há um direcionamento para o trabalho e, se está nos seus planos crescer e evoluir, é preciso investir o seu tempo em questões estratégicas. Isso é interessante, por exemplo, quando for participar de um programa de aceleração para startup madura.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo. Para ajudar a lidar melhor com as finanças da sua startup, separamos um post sobre como trabalhar a relação com investidores!