Falar de startup é, muitas vezes, associar o negócio diretamente com temas de inovação, criatividade e diversidade. Porém, precisamos mencionar também a responsabilidade social que essas marcas exercem, principalmente, o impacto que isso terá na sociedade e como elas contribuem com o meio em que estão inseridas.

Esse tema é muito importante e deve ser parte dos pilares de cultura da empresa. Assim, o crescimento do negócio estará conectado com a responsabilidade social desde o princípio e, ao mesmo tempo, pode ser uma forma de atração e retenção de talentos. Afinal, muitos profissionais prezam por um local de trabalho com boas iniciativas.

Então, o que acha de entender melhor o que é responsabilidade social e como esse pilar deve se fazer presente o quanto antes nas startups? Confira!

O que é responsabilidade social?

A responsabilidade social é tudo aquilo que as empresas fazem para contribuir com a sociedade, com a comunidade ao redor e, até mesmo, com o meio ambiente. Além disso, esse ato é feito de forma voluntária, sem que haja obrigatoriedade para as organizações.

Estar em conformidade com esse conceito também faz com que marcas ganhem um ótimo destaque. O objetivo de estar alinhado com práticas de responsabilidade social é focar o interesse coletivo, procurando sempre manter o bem-estar de toda a equipe de profissionais, assim como o público exterior.

São vários conceitos aplicados aqui. Entre eles, o de ética profissional, preservação do meio ambiente, impactos positivos, entre outros.

Qual a importância da responsabilidade social para as startups?

Como dissemos, a responsabilidade social traz muitos benefícios para as startups, mas ela também é o apoio ideal para diversas outras situações. Por exemplo: ajudar a sua marca a conseguir superar momentos de incerteza, como em crises sociais e econômicas, e atuando como facilitadora da cultura de startup, incentivando a cooperação nos negócios.

Além disso, se o conceito já começar a ser aplicado desde o momento do programa de aceleração, será mais um ponto a favor da marca, principalmente, quando falamos em trazer vantagem competitiva ao mercado. Não podemos deixar de lado, ainda, uma melhor visão para a tomada de decisões com foco em soluções para público interno e externo.

Outro ponto que a prática da responsabilidade social aflora é a reputação de marca. Se você tem uma startup que sempre atuou com foco em somar na sociedade, será lembrada como uma empresa séria, comprometida, que se preocupa com seus profissionais, quer ser realmente útil para os clientes e, ainda, ser a parceira ideal para seus stakeholders.

Quais os tipos de responsabilidade social?

Para se fazer presente de forma mais equilibrada, a startup pode contar com três dos principais tipos de responsabilidade social. Conheça, abaixo, um pouco de cada um deles.

Responsabilidade Social Corporativa

Essa é uma representação do compromisso que a startup tem de atuar continuamente com foco na ética e no desenvolvimento econômico. Para alcançar essa meta, a sua marca deve promover a melhoria da qualidade de vida e bem-estar dos seus colaboradores, suas famílias, a comunidade local e a sociedade em geral.

Responsabilidade Social Empresarial

Esse conceito de responsabilidade social é bem semelhante ao anterior, com a diferença de que a atuação da startup passa a ser um pouco maior. Por exemplo, você poderá elaborar estratégias e campanhas com objetivos voltados mais para os benefícios dos seus stakeholders.

Esses grupos, que são os de maior interesse na sua empresa, devem ser lembrados em todos os processos da sua marca. Isso porque eles facilitam o seu trabalho com insumos, investimentos, ideias, apoios etc., que são fundamentais para o crescimento e consolidação da startup no mercado — e na sociedade.

Responsabilidade Social Ambiental

Já a responsabilidade social ambiental é, sem dúvidas, uma das mais importantes nos dias de hoje. Com as questões relacionadas ao aquecimento global, à poluição da natureza, e a busca constante por soluções biológicas, quem cuida e se preocupa com o meio ambiente sai na frente.

Nesse formato, a startup precisa criar planos com ações claras, específicas e destinadas a trazer benefícios à sociedade, em conjunto com o meio ambiente. Ainda é possível firmar parcerias com órgãos públicos, instituições sem fins governamentais, projetos de escolas, faculdades, e muito mais.

É válido criar um núcleo dentro da sua empresa, com foco em práticas positivas ao meio ambiente. Dessa forma, a sua equipe estará bem mais próxima do assunto e se sentirá mais motivada a desenvolver iniciativas interessantes e cheias de valor.

Como a responsabilidade social deve se fazer presente nas startups?

Para começar, é essencial abordar o assunto com toda a equipe, mostrando o que significa atuar com base na responsabilidade social, como fazer isso e quais são os benefícios que ela proporciona. Depois, é fundamental continuar reforçando a necessidade de, juntos, desenvolverem o lado social da empresa.

Ao mesmo tempo, existem algumas boas práticas para você apostar e, assim, fazer com que a responsabilidade social se faça presente no DNA do seu negócio. Entre elas, podemos indicar:

  • investir na saúde e segurança de todos os seus colaboradores;
  • integrar e valorizar a comunidade, seja em projetos específicos, seja em todas as áreas da startup;
  • adotar processos de seleção com total abertura para a diversidade, responsabilidade e apoio ao profissional;
  • reduzir o impacto ambiental que a sua marca teria — como em políticas simples de substituição de materiais, reciclagem, estímulo ao respeito com a natureza etc.;
  • promover os direitos humanos, além da inclusão social;
  • apoiar e incentivar causas sociais.

Tendo em vista tudo o que abordamos sobre responsabilidade social, agora, pode ser um bom momento para trazer mudanças para a sua empresa. Lembre-se de que todo período de transformação e adaptação é também uma época em que os negócios podem se reinventar.

Se for para algo melhor, mais chances você tem de conseguir manter uma equipe unida, atrair talentos, reforçar a sua imagem e, ainda, conquistar clientes e parceiros.

Gostou? Então, aproveite e assine a nossa newsletter para receber sempre em primeira mão, no seu e-mail, conteúdos interessantes como este!